Brasil completa neste sábado 70 anos de fechamento dos cassinos


30/04/2016 Facebook Twitter LinkedIn Google+ Novidades



O historiador Milton Teixeira conta que os cassinos chegaram ao Brasil durante o Império e eram frequentados até pelo imperador D. Pedro II

Neste sábado, dia 30 de abril, completa 70 anos do Decreto-Lei 9.215 de 30.04.1946, do presidente Marechal Eurico Gaspar Dutra, que fechava os cassinos no Brasil. Comenta-se que o Presidente Dutra foi ‘induzido’ pelo ministro da Justiça, Carlos Luz, pelo Cardeal Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Jayme de Barros Câmara e pela esposa, Dona Carmela ‘Santinha’ Dutra. Para marcar a passagem da data, o BNL reeditou Especial sobre o assunto com informações, curiosidades e artigos para lembrar da infeliz data para o setor de entretenimento no Brasil.
Como os cassinos chegaram ao Brasil: D. Pedro II jogava
O historiador Milton Teixeira conta que os cassinos chegaram ao Brasil durante o Império e eram frequentados até pelo imperador D. Pedro II. Passaram para a clandestinidade em 1917, depois de consolidada a República.
“O presidente Getúlio Vargas liberou os cassinos em 1934. Segundo o que se comentava à época, o empresário Joaquim Rolla, dono dos cassinos da Urca, Atlântico, Icaraí (Niterói), Quitandinha (Petrópolis), seria o testa-de-ferro de Benjamin Vargas (irmão de Getúlio), o que nunca foi provado. Dizia-se que os cassinos funcionavam como caixa dois de Getúlio”, lembra Milton.
Ainda segundo Teixeira, os cassinos eram fábricas de sucessos, pois todos os grandes artistas das décadas de 30, 40 e 50 surgiram em seus palcos.
“Eles foram fechados porque houve uma reação conservadora da sociedade e da Igreja. Apesar do lobby da bancada do jogo e de alguns empresários, os cassinos nunca mais voltaram à legalidade”, conclui Teixeira.
Algumas curiosidades sobre o fechamento dos cassinos
O badalar dos sinos
No dia 30 de abril, os sinos das igrejas do Rio de Janeiro badalaram por mais de oito minutos, um recorde, enquanto o Cardeal Dom Jaime de Barros Câmara, apoiando a medida, concedia entrevistas para os jornais.
Desemprego
Nos 71 cassinos do Brasil, o clima era de velório. Os rostos estampavam o sentimento de cerca de 53.200 desempregados, dos salões de jogos e Grill-room.
A última rodada
Às 23h do dia 30 de abril, José Caribé da Rocha, diretor do Cassino Copacabana Palace, com a voz embargada e em tom solene, dirigiu-se à mesa de roleta, cercada de apostadores, amigos e funcionários e disse: ‘Senhoras e Senhores, façam suas apostas para a última rodada de roleta no Brasil! Gira o cilindro, solta a bolinha de marfim e com lágrimas e voz embargada pela emoção, canta: preto, 31!
Dona Santinha
Dutra conheceu sua mulher, Santinha, em 1914, na casa do avô de Fernando Henrique Cardoso, de quem foi ajudante-de-ordem. Ela já era viúva e tinha uma filha. Muitos atribuem à ela a decisão de proibir o jogo no Brasil. Ela foi também a primeira mulher de presidente a forçar a nomeação de parentes para cargos públicos. Dona Santinha morreu em 1949 no Palácio Guanabara.
As considerações
Essas foram as “considerações” do Decreto-Lei presidencial, que fechou os cassinos: “Considerando que a repressão aos jogos de azar é um imperativo da consciência universal; Considerando que a legislação penal de todos os povos cultos contém preceitos tendentes a asse fim; Considerando que a tradição moral jurídica e religiosa do povo brasileiro e contrária à prática e à exploração de jogos de azar; Considerando que, das exceções abertas à lei geral, decorreram abusos nocivos à moral e aos bons costumes; Considerando que as licenças e concessões para a prática e exploração de jogos de azar na Capital Federal e nas estâncias hidroterápicas, balneárias ou climáticas foram dadas a título precário, podendo ser cassadas a qualquer momento”.
Troca de letras
Dutra tinha um problema de pronúncia. Costumava trocar o “c” e o “s” pelo “x”.
As manchetes dos jornais daquela época no dia seguinte ao Decreto-Lei
Jornal do Brasil: A repercussão na Assembleia Constituinte do Decreto-Lei que extinguiu o jogo
Correio da Noite: Extinção do jogo e combate ao Comunismo
O Radical: O General-Presidente resgata a palavra dada à nação – Revestiu-se de aspecto sensacional a providencia do governo extinguindo a jogatina em todo o pais – O boatejar dos exploradores do jogo estava comprometendo a honra de respeitáveis autoridades públicas – O decreto restabelece o respeito ao código penal – O povo sempre confiou no Presidente Dutra
A Manhã: Todos contra o jogo – “A Manhã” ouve representantes de todas as classes sociais, acerca do sensacional Decreto do Govêrno – Três religiões, por seus intérpretes, opinam na “enquête” – Também os homens do povo
Resistência: Duro golpe no futuro artístico do país!
Diário de Notícias: Extingue-se uma praga social que a Ditadura havia instituído no Brasil. Não houve tempo para despedidas… Ontem mesmo deixou de funcionar a batota – Os cassinos não abriram os salões dos “Grills” – Decepção e satisfação – Opina um empregado – Insulto à imprensa – As que não se conformam com a extinção do jogo
Projetos de lei de legalização dos cassinos
Desde abril de 1946 até hoje, 90 projetos de lei tramitaram pelo Congresso para legalizar e regulamentar os cassinos e todos foram arquivados.
Fonte: BNL

WhatsApp chat
-->