Luxemburgo volta a ser cobrado por cassino em Las Vegas


24/06/2016 Facebook Twitter LinkedIn Google+ Novidades



Apesar de levar R$ 46 milhões de rescisão com o Tianjin Songjiang, Vanderlei Luxemburgo ainda não quitou a dívida com o cassino Wynn, em Las Vegas, Estados Unidos. Segundo informações da ESPN Brasil, a empresa ingressou com nova petição cobrando as duas últimas parcelas de um acordo feito em dezembro de 2015. No total, restam quase R$ 130 mil a serem pagos pelo treinador.

“Tendo em vista que já se exauriu o prazo para o pagamento das duas parcelas restantes pelo executado, e tendo em vista que até a presente data não consta dos autos os comprovantes dos devidos pagamentos, é a presente para requerer a determinação da intimação do executado para que comprove nos autos os pagamentos tempestivos das parcelas, sob pena de multa”, diz o cassino, por meio do advogado, em petição juntada à 34ª Vara Cível do Foro Central João Mendes, da Justiça de São Paulo.

“Pode ser que sim (não tenha quitado as parcelas), pois o Vanderlei estava na China, e a pessoa que estava encarregada de fazer pode não ter feito o pagamento. Mas ainda não recebemos nenhuma intimação. Se não foi feito ainda o pagamento, vai ser”, respondeu o advogado do treinador para a ESPN Brasil.

A situação começou em julho do ano passado. Na ocasião, os americanos cobravam R$ 430 mil do treinador por uma dívida feita no local na noite de fevereiro de 2014.

À época, o treinador – que estava desempregado – deixou um cheque promissório no valor de 300 mil dólares, a ser pago até o dia 29 de maio do mesmo ano. Mas Luxemburgo só quitou 161 mil dólares e ficou devendo o restante. Então, foi acionado na Justiça pelo cassino. (Yahoo Esportes)

WhatsApp chat