Legalização do jogo está em risco


08/07/2016 Facebook Twitter LinkedIn Google+ Novidades



Quarta-feira intensa e arriscada para os defensores da legalização dos jogos no Brasil. Se não fosse uma manobra regimental no Senado adiando a votação para a próxima terça-feira (12), a proposta seria rejeitada no Plenário por um simples motivo: falta voto.

O ambiente político era confortável, mas o fato da proposta ter sido incluída na pauta de votação juntamente com outros temas polêmicos, a nova prisão do Carlinhos Cachoeira e a reportagem do Bom Dia Brasil foram suficientes para contaminar o processo. Além disso, nos últimos dias houve uma multiplicação de opositores, principalmente os evangélicos que inclusive usaram pastores para pedir aos senadores que não aprovem a proposta.

Os senadores do PT que eram favoráveis a proposta, mudaram de opinião e passaram a ser contrários a legalização por conta do impeachment. O PSDB, por influência dos senadores José Serra (PSDB-PB) e Cassio Cunha Lima (PSDB-P), chegou a discutir fechar questão contra a aprovação da proposta, o que significaria que todos os parlamenteares do partido teriam que votar contra o projeto.

Nos últimos dias os defensores da legalização focaram no embate em torno do relatório da Comissão Especial do Marco Regulatório dos Jogos na Câmara dos Deputados e esqueceram do Senado. Se a proposta do Senado for rejeitada, serão pelo menos mais dois anos para a retomada do processo de legalização. Somente na próxima legislatura.  

É imperativo que todos os interessados se mobilizem em seus Estados e peçam votos dos três senadores.
Temos que dar um tempo nos planos futuros, nos acordos, nos embates e botar o ‘bloco na rua’ para aprovar o PLS 186/2014 no Plenário do Senado Federal na próxima terça-feira, pois caso contrário veremos o sonho da legalização ser adiado novamente.

WhatsApp chat
-->