Deputado Bacelar volta a defender a legalização do jogo


17/02/2017 Facebook Twitter LinkedIn Google+ Jogos,Novidades



Em discurso proferido na manhã desta quinta-feira (16), no Plenário da Câmara dos Deputados o Deputado Bacelar (PTN-BA) defendeu a legalização do jogo como forma de arrecadar recursos com impostos para que sejam utilizados para cobrir o déficit da Previdência Social. Segundo o parlamentar, as apostas clandestinas movimentam cerca de R$ 20 bilhões por ano no país.

O Deputado Bacelar tem sido ao longo do processo, um importante aliado na busca da legalização dos jogos junto ao Cngresso Nacional.   

“Parabenizei a Câmara pela criação da Comissão da Legalização dos Jogos de Azar. O Brasil não pode continuar perdendo dinheiro com as apostas ilegais”, comentou o parlamentar. Veja abaixo a íntegra do discurdo do parlamentar.

“Deputado Carlos Manato, que preside esta sessão, Sras. e Srs. Deputados, encontra-se na Ordem do Dia requerimento de urgência para apreciação do Projeto de Lei nº 442, de 1991, que trata da legalização dos jogos de aposta, dos jogos de azar no Brasil.

Há 25 anos esta Casa debate este assunto, e não há dilema na questão, porque nós não temos a opção jogo e não jogo, esta opção não existe, o que existe é a opção: jogo legalizado e jogo ilegal, porque em todas as sociedades o jogo está presente.

Houve, agora, por último, uma Comissão Especial que trouxe debatedores do Brasil e trouxe debatedores do cenário internacional, o assunto está pronto para ser votado. Volto a dizer que saímos de um dilema para entrarmos num enigma.

O Governo brasileiro ou o Governo Michel Temer quer uma reforma da Previdência que pune os trabalhadores, uma reforma da Previdência que pune a classe média brasileira, e deixa com a não legalização dos jogos de arrecadar cerca de 20 bilhões de reais por ano. Só o jogo do bicho movimenta no Brasil anualmente 12 bilhões de reais.

O déficit da Previdência, que o governo golpista diz, estáem torno de R$ 140 bilhões, se legalizarmos os jogos no Brasil, em sete anos, teríamos os recursos que cobririam o déficit atual da Previdência.

Em 157 países do mundo o jogo está legalizado. Tirando os países muçulmanos e árabes, somente em Cuba não há legalização do jogo.

O jogo traz emprego, o jogo traz desenvolvimento, o jogo traz recursos, o jogo énecessário, ele é uma realidade na sociedade brasileira.

A proibição do jogo foi fruto de uma vontade religiosa da então primeira-dama D. Santinha, que, por ser muito religiosa, exigiu que o Presidente Dutra tornasse o jogo ilegal. Porém, desde 1940, quando isso aconteceu, até hoje, o jogo é feito abertamente no Brasil e, agora, muito mais com a Internet. Por isso, esta Casa precisa decidir com urgência pela legalização do jogo no Brasil.”

WhatsApp chat
-->