Posse de Raquel Dodge e a legalização dos jogos


18/09/2017 Facebook Twitter LinkedIn Google+ Novidades



Tomou posse nesta segunda-feira (18) a nova procuradora-geral da República, Raquel Dodge em substituição a Rodrigo Janot no comando da PGR. Ela é a primeira mulher a ocupar o cargo de chefia da instituição.

Em julho, destacamos que a mudança na PGR poderá não representar mudança de opinião da entidade sobre legalização dos jogos. Não existe manifestação pública contrária a legalização dos jogos da nova procuradora-geral da República, mas existe forte contrariedade aos jogos de azar entre os membros da equipe da nova procuradora.

Fica a dica

Acreditamos que já passou da hora do Ministério Público discutir a questão da legalização do jogo com racionalidade e como política pública. O longo período de proibição do jogo no Brasil, cerca de 76 anos, não alterou o cenário de ilegalidade do jogo no país. Ainda prevalece o trinômio: criminalização, perseguição policial e penas indiscriminadas.

Questões religiosas, políticas, ideológicas, acabam contaminando o debate sobre a legalização dos jogos. O jogo não deve ser encarado com caso de polícia, mas sim uma significativa fonte de receita para investimentos sociais, além de importante instrumento de geração de empregos.

WhatsApp chat
-->