Pesquisa sueca mostra que dinheiro pode, sim, trazer mais felicidade


31/08/2018 Facebook Twitter LinkedIn Google+ Novidades



Novas pesquisas sugerem que quem tem mais dinheiro realmente leva uma vida mais prazerosa. O levantamento foi feito com milhares de ganhadores da loteria sueca, que comprovaram as evidências. Na comparação entre as pessoas que participaram dos jogos, quem ganhou mostrou estar mais satisfeito na vida. Os que arremataram prêmios entre US$ 100 mil e US$ 1 milhão mostraram-se ainda mais satisfeitos do que os que receberam até US$ 100 mil.

O estudo “Efeitos a Longo Prazo da Riqueza Lotérica no Bem-Estar Psicológico”, desenvolvido por pesquisadores da Escola de Economia de Estocolmo, da Universidade de Estocolmo e da Universidade de Nova York, diz que esses efeitos são evidentes até duas décadas depois do prêmio. O resultado alimenta um longo debate sobre o papel das finanças pessoais no bem-estar emocional.

Estudos anteriores já haviam mostrado que pessoas mais ricas tendem a relatar níveis mais altos de satisfação. A relação entre ganhos financeiros e satisfação é similar em dezenas de países, sugerindo que as descobertas suecas poderiam se aplicar aos Estados Unidos, por exemplo. A novidade, segundo os pesquisadores, é a evidência de que maiores ganhos causam maior bem-estar.

Esses resultados dão apoio à visão econômica padrão de que o dinheiro aumenta o bem-estar, mesmo que não de forma uniforme. Isso contraria a visão defendida por muitos psicólogos de que as pessoas se adaptam amplamente às suas circunstâncias, incluindo sua situação financeira.

Os autores do estudo consideram essa visão equivocada, e a atribuem a uma leva anterior de estudos sobre loteria, entre os quais o mais famoso foi feito em 1978, e se chama “Ganhadores de loteria e vítimas de acidentes: a felicidade é relativa?” Esse estudo comparou o bem-estar emocional de 22 ganhadores de Illinois com um grupo de controle de 22 pessoas.

Os ganhadores de loteria disseram-se mais felizes depois dos prêmios. Mas como a amostra era muito pequena, os pesquisadores concluíram que isso poderia refletir a influência da sorte, e não perceberam que essa informação confirmava a ideia de que esses ganhadores eram realmente mais felizes. Acabaram por reforçar a ideia de que dinheiro não traz felicidade.

Metodologia

A pesquisa segue o padrão dos testes de novos medicamentos, nos quais aqueles que receberam tratamento — no caso, uma grande dose de dinheiro — foram comparados àqueles que receberam uma dose menor, ganhando prêmio pequeno, e com indivíduos da mesma idade e sexo que não ganharam nada.

Os autores obtiveram autorização das autoridades estatísticas suecas para acompanhar cada ganhador de três das principais loterias do país em mais de uma década e, em seguida, usaram registros do governo para rastrear outros aspectos da vida dos vencedores. Os pesquisadores examinaram os mesmos indicadores para os suecos que jogaram na loteria, mas perderam, ou ganharam prêmios menores.
Fonte: O Globo

WhatsApp chat
-->