FSA Caixa e Prefeitura de São Paulo lançam edital para projetos inovadores em saúde


18/12/2018 Facebook Twitter LinkedIn Google+ Novidades



Desafio CAIXA-PMSP Residência Maker lança edital nesta quinta-feira (13) para inscrição de projetos que apresentem propostas inovadoras para aplicação nas áreas da saúde. O Residência Maker é uma iniciativa da Prefeitura de São Paulo em parceria com a Caixa Econômica Federal, por meio do Fundo Socioambiental – FSA CAIXA. 

O edital é voltado para projetos que abordem de forma criativa e eficaz o combate à obesidade infantil e na adolescência e a diabetes tipo II, problemas complexos de saúde pública nas grandes metrópoles. Para viabilizar a execução do programa, serão investidos recursos financeiros no valor de até R$ 4 milhões, que serão destinados à incubação de projetos inovadores em estágio inicial de desenvolvimento – ou seja, que estejam passando pelas etapas de prova de conceito, elaboração de protótipos de baixa fidelidade e/ou de validação e escala de uma nova tecnologia.

“A inovação e a tecnologia são poderosas e indispensáveis aliadas para atingirmos os principais públicos desses dois males, promovendo a conscientização e a prevenção entre a população”, avalia Edson Aparecido, secretário municipal da Saúde, responsável pelo lançamento do edital junto com a Secretaria Municipal de Inovação e Tecnologia.

“Queremos apoiar iniciativas que possam fomentar o ecossistema da inovação, que desenvolvam ideias e soluções com potencial para ampliar a qualidade de vida nos grandes centros”, complementa Daniel Annenberg, secretário de Inovação e Tecnologia da cidade de São Paulo. 

As inscrições serão recebidas de 7 de janeiro de 2019 até 1º de fevereiro, e devem ser enviadas via correio ou mediante entrega protocolada na Secretaria Municipal de Inovação e Tecnologia (SMIT), localizada na Rua Libero Badaró, 425, 4º andar – Centro. Mais informações podem ser encontradas no portal residenciamaker.prefeitura.sp.gov.br.

De acordo com o gerente nacional de Sustentabilidade e Responsabilidade Socioambiental da CAIXA, Rauelison da Silva Muniz dos Santos, “muitos desafios se impõe aos governos, principalmente à saúde pública e, com essa iniciativa, teremos a possibilidade de identificar ideias inovadoras para a solução desses problemas”.

Seleção
Os resultados da seleção serão anunciados em abril de 2019, com início da parceria previsto para maio do mesmo ano. O edital do Residência Maker é direcionado às organizações sem fins lucrativos, pessoa jurídica de direito privado, com comprovada regularidade de suas obrigações fiscais, com experiência no desenvolvimento e suporte de projetos inovadores e na atuação no ecossistema de inovação, em dia com suas obrigações legais.

Será selecionada a organização que apresentar capacidade técnica e metodológica – em conformidade com os requisitos do edital – para incubar cerca de 40 projetos inovadores realizados por pessoas físicas. A entidade poderá contar com parceiras para realizar a proposta.

A organização vencedora receberá o investimento para executar a metodologia, sendo responsável por formular desafios referentes ao tema de problemas complexos de saúde, atrair, selecionar, incubar e acompanhar o desenvolvimento de projetos inovadores.

Os projetos inovadores selecionados pela organização, em conjunto com a Prefeitura de São Paulo e a Caixa Econômica Federal, passarão por um programa de residência com duração prevista de quatro meses e recursos para validação e desenvolvimento das iniciativas.

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de São Paulo disponibilizará apoio técnico e acesso às informações da base de dados sobre os dois temas, além da mentoria de especialistas aos empreendedores.

Impacto
A obesidade é uma patologia multifatorial crônica decorrente da sobreposição de fatores genéticos e ambientais. A obesidade exógena, aquela causada por excesso de alimentos, corresponde de 95 a 98% dos casos – apenas um percentual muito baixo (2 a 5%) tem causas relacionadas a síndromes genéticas, tumores ou distúrbios endócrinos. 

No Brasil, a obesidade vem crescendo, e levantamentos apontam que mais de 50% da população está acima do peso, ou seja, na faixa de sobrepeso. Entre crianças os indicadores já são de 15%.

De acordo com dados do Ministério da Saúde, a prevalência de diabetes tipo II nos países da América Central e do Sul foi estimada em 26,4 milhões de pessoas e projetada para 40 milhões em 2030. Estima-se que o Brasil passe da 8ª posição, com 4,6% da sua população com a doença, em 2000, para a 6ª posição, 11,3%, em 2030. 

No município de São Paulo, dados do Inquérito de Morbidade Referida ISA Capital 2015 estimam em 7,4% a quantidade de diabetes autorreferida na população residente de 18 anos e mais, com tendência temporal de aumento na comparação com a estimativa de 2003 (4,7%).
Fonte: CAIXA

WhatsApp chat
-->