ECONOMIA CAIXA Mais Brasil define investimentos no Paraná


19/03/2019 Facebook Twitter LinkedIn Google+ Novidades



A CAIXA assinou, neste final de semana, contratos de investimento com as prefeituras de Ivaí e São Miguel do Sul, no Paraná. Em Ivaí, são R$ 5,3 milhões do programa Avançar Cidades que serão utilizados na pavimentação asfáltica de áreas do centro da cidade e de outros quatro bairros.  Em São Miguel do Sul, R$ 4 milhões do Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento (FINISA) serão investidos na compra de terreno para construção de moradias populares e parque industrial e na pavimentação da área. “Nossa prioridade é financiar obras que beneficiem a população carente”, disse o presidente da CAIXA, Pedro Guimarães. “Queremos cortar gastos, economizar R$ 3,5 bilhões em dois anos, para que possamos financiar mais obras dessa natureza”, completou.

Durante a visita do CAIXA Mais Brasil ao Paraná, ficou definido que a CAIXA irá elaborar o projeto de estruturação das concessões de dois mil e quinhentos quilômetros de rodovias do estado, já que as atuais concessões terminam em novembro de 2021. Já a prefeitura de Curitiba terá o assessoramento da CAIXA para estruturação de uma parceria público-privada (PPP) para projetos na área de iluminação pública.

Atenção à saúde

Em Curitiba, o CAIXA Mais Brasil acompanhou o funcionamento do Centro de Excelência em Atenção à Mulher Fani Lerner, do Hospital do Trabalhador, especializado em atendimento de alta complexidade. A construção do centro teve R$ 6 milhões financiados pela CAIXA. Os 80 leitos são exclusivamente para atendimento às mulheres em casos de emergência, cirurgias ginecológicas, atenção pós-parto e casos de violência doméstica. No local, também há uma unidade de reprodução humana do SUS e um banco de leite materno.

O centro conta com 30 leitos de UTI, sendo 20 neonatais e 10 para os casos de grande prematuridade, quando os bebês nascem com menos de um quilo. A dona de casa, Luana Carolina Quadros, grávida de nove meses, aguardava com o marido, Lucas Silva de Lima, o nascimento da primeira filha, Isabela. “É muito bom ser atendida numa ala exclusiva para mulheres. A gente se sente à vontade porque temos privacidade”, disse Luana. O diretor geral do hospital, o médico Geci Labres, explica que a construção do centro de atendimento à mulher trouxe outra vantagem. “A antiga ala feminina do Hospital do Trabalhador vai poder ser desativada e vai permitir a ampliação do nosso pronto socorro”.

Em Campo Largo (PR), o CAIXA Mais Brasil visitou o Hospital do Rocio, que teve R$ 103 milhões financiados pela CAIXA e é referência em atendimento de gestação de alto risco, cirurgia pediátrica e neurocirurgia.  Mesmo sendo uma instituição privada, o hospital é responsável por 96% do atendimento de média e alta complexidade do SUS. O diretor do hospital, Carlos Müller, lembrou um caso que ganhou notoriedade nacional. “Uma mulher de 20 anos com morte cerebral e grávida de gêmeos com 12 semanas, foi mantida em aparelhos, recebeu cuidados e terapias especiais até o sétimo mês de gravidez quando o parto pode ser feito”. Hoje, segundo ele, as crianças têm dois anos e saúde perfeita.

Agronegócio
O CAIXA Mais Brasil também teve reuniões com os representantes de cooperativas paranaenses que recebem financiamentos da CAIXA para agronegócios. O Paraná está entre os principais produtores agrícolas do país e o governo do estado quer transformar a região também em polo de logística, armazenamento e distribuição de grãos. “As cooperativas têm papel fundamental na economia do estado. A maioria delas é referência no nível de produção e uso de novas tecnologias, por isso queremos ampliar esse tipo de parceria”, explicou o superintendente da CAIXA em Curitiba, Adriano Resende. Esta é sétima visita do CAIXA Mais Brasil aos estados. O projeto já passou por Roraima, Amazonas, Acre, Rondônia, Amapá e Piauí e nesta semana chega a Pernambuco.
Fonte: CAIXA

WhatsApp chat