Presidente da Caixa afirma que lotérica é parte essencial do banco


22/04/2019 Facebook Twitter LinkedIn Google+ Novidades



Em entrevista à Folha de S.Paulo sobre Minha Casa, o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães afirmou que aprendeu ao assumir o banco “que lotéricas e correspondentes bancários são parte essencial do negócio”. Ainda segundo o dirigente, as unidades não geravam negócios porque as 12 vice-presidências não se falavam.

Segundo a reportagem, de perfil arrojado, forjado na iniciativa privada, e muito alinhado com o ideário do ministro Paulo Guedes (Economia), Guimarães prepara uma agressiva venda de ativos da Caixa. Ao mesmo tempo, defende o papel do banco como financiador de investimentos públicos e políticas de governo. Em quatro meses, o executivo lançou um cartão de crédito consignado, que deverá atender inicialmente funcionários públicos e aposentados. A meta é chegar a 20 milhões de usuários.

Como é a Caixa que o sr. encontrou?

O que aprendi até aqui é que lotéricas e correspondentes bancários são parte essencial do negócio, mas não geram receita porque as 12 vice-presidências não se falavam. Eram unidades isoladas.

Isso mudou?

Em dois meses lançamos o cartão de crédito consignado. Juntamos vice-presidências, e o produto saiu. O plano é chegar a 20 milhões de cartões em quatro anos. Mas, se a gente não chegar a 10 milhões, será um fracasso.

Somos um banco social e temos de ganhar dinheiro com isso. Era inaceitável que não tivéssemos foco na linha de crédito pessoal mais barata que não fosse o microcrédito. A pessoa mais carente, que mais precisa, passa a tomar empréstimo a 2,85% ao mês por cinco anos.

Nas regiões Norte e Nordeste, onde as distâncias são enormes, levando as pessoas a demorar três meses para sacar o Bolsa Família, o cartão vai permitir que não seja necessário ir à agência, pois funcionará como débito e crédito na padaria, na lotérica.

Comento

Sempre comentamos neste espaço a falta de agilidade no processo decisório da Caixa. Existem sempre instâncias superiores, vários conselhos como o de Fundos Governamentais e Loterias, Administração, Gestão de Ativos de Terceiros e Conselho Fiscal, entre outros para decidir sobre um determinado assunto.

De origem de bancos da iniciativa privada, o novo presidente da Caixa tem origem tem outra visão sobre gestão e, caso não seja capturado pelo espírito corporativista do banco, tem credenciais para resolver antigos problemas como os da rede lotérica e das Loterias Caixa.
Fonte: BNL Data

WhatsApp chat
-->