Diretoria da FEBRALOT reuniu-se com executivos da Caixa em São Paulo


29/04/2019 Facebook Twitter LinkedIn Google+ Novidades



Na última quarta-feira (24), a diretoria da FEBRALOT reuniu-se com executivos da Caixa Econômica Federal: assessor Estratégico da Presidência, Celso Leonardo; superintendente Nacional de Loterias, Gilson Braga e a diretora de Clientes e Canais – DECLI, Thays Cintra Vieira.

Thays Vieira disse para os presentes que está muito feliz com o momento atual da categoria, mediante as expectativas da diretoria da Caixa nesta nova gestão, que veio com ideias inovadoras. A diretora acredita que muitas mudanças positivas devem chegar para a Rede Lotérica em cerca de 15 dias. Afirmou, portanto, que veio para conversar e esclarecer alguns pontos, mas ainda, não entregar soluções para as demandas já conhecidas. Sua expectativa é ter algumas respostas em uma reunião em Brasília estimada para o dia 7 de maio.

A FEBRALOT cobrou uma solução sobre o carro-forte que há um ano está para ser solucionado e até agora nada aconteceu. Extrapolando o acordo firmado entre as partes. O vice-presidente do sindicato dos Lotéricos do Rio de Janeiro – SINCOERJ, Marcelo Gomes incluiu outra observação de que, o Rio de Janeiro já havia apresentado presencialmente através de ofício, em março de 2017, um estudo com mais de 400 loterias, onde mostrava o prejuízo decorrentes desta questão e, depois disso, outras reuniões que trataram deste tema não apresentaram nenhuma solução. Em dezembro de 2018, foi aprovado o modelo apresentado pela Caixa e o problema não foi solucionado. Em 26 de fevereiro, foi apresentado o valor do citado modelo onde a FEBRALOT aprovou quase de maneira unânime e este adicional seria implantado de imediato com ajustes de remuneração posteriores, mas até a data base que é julho, junto com tarifas. Tudo registrado em ATA e não cumprido pela gestora. Marlene Falcão, presidente do Sindicato dos Lotéricos da Paraíba reiterou que este problema atinge de Norte a Sul do país e necessita de solução.

A diretora de Clientes e Canais respondeu dizendo que entende a indignação de todos, sabe que o Rio de Janeiro tem peculiaridades que são diferentes dos demais Estados e isso dificulta uma solução. Disse que a Caixa quer fazer o pagamento de adicional mais justo, pois o banco entende que a forma atual não é justa. Justificou que no último modelo apresentado, houve uma observação jurídica, e ela não estava segura de ser uma prática ideal. Assim, solicitou mais prazo a fim de conseguir uma equalização melhor desta distribuição e que acredita que na primeira quinzena de maio já deve ser apresentada uma definição.

O presidente da FEBRALOT, Jodismar Amaro destacou que esta é uma questão que não depende de redistribuição para ser solucionada, mas sim de um maior aporte financeiro por parte da Caixa e, sem isso, sempre haverá dificuldades para equalizar a distribuição.

Thais Vieira disse que a metodologia a ser aplicada será a que já foi combinada anteriormente com a FEBRALOT. Segundo ele, este sistema permitirá uma equalização melhor desta distribuição e que devem apresentar uma proposta para reajuste. Concluiu dizendo a todos que não há nada relacionado à Rede Lotérica que esteja parado na Caixa nesta nova gestão e que todos os assuntos estão sendo discutidos para se tornarem viáveis e solucionados.

Tarifas

Jodismar Amaro cobrou sobre a questão das tarifas e da data-base ao que a diretora da DECLI reafirmou que ainda não tem absolutamente nada para informar sobre estes itens, mas prometeu que terá algo para a reunião de maio. Destacou que estão viabilizando o que foi acordado e a Caixa está finalizando as questões seguindo aquelas diretrizes. Isso incluirá tanto o carro-forte quanto a metodologia de reajuste anual.

A Febralot cobrou que haja uma simplificação no formato de apuração dos custos para a aplicação do reajuste e a dirigente confirmou que pretende ir por este caminho.
Termine de ler na Fonte: BNL Data

WhatsApp chat
-->