Apoio discreto de Bolsonaro à legalização de jogo do bicho


07/05/2019 Facebook Twitter LinkedIn Google+ Novidades



O debate sobre a legalização de bingos, cassinos e jogo do bicho volta forte amanhã à pauta do Congresso Nacional e com aval discreto do presidente da República, Jair Bolsonaro. Com 196 deputados e sete senadores signatários, nascerá a Frente Parlamentar Mista pela Aprovação do Marco Regulatório dos Jogos, sob tutela do deputado Bacelar (Pode-BA). E com apoio técnico do idealizador, o professor Magno José, presidente do Instituto Jogo Legal, considerado hoje o maior especialista na área. O grupo lança mão do discurso de que este setor no país poderá gerar 658 mil empregos diretos, movimentar R$ 60 bilhões por ano e encher os cofres do governo com até R$ 6 bilhões anuais.
Empregos
A Frente vai trabalhar pela aprovação do PL 442/91. A legalização também geraria 20 mil empregos para
pessoas com deficiência, segundo Magno, e retiraria da clandestinidade 450 mil empregados do jogo do bicho.
Na contramão
No mundo, só Brasil, Indonésia e Arábia Saudita proíbem jogos de azar — mas estes dois últimos países são de população muçulmana. As grandes potências mundiais faturam.
Lá fora
O mercado dos jogos nos Estados Unidos, só para dar um exemplo, gera 1,7 milhão de empregos por ano e movimenta US$ 74 bilhões durante esse período. Dos países signatários da ONU, 75,5% autorizam bingos e/ou cassinos. Todos os dados são do Instituto Jogo Legal.
Fonte:
Coluna Esplanada

WhatsApp chat