Com Bolsonaro, CPB e Caixa firmam contrato para inclusão no esporte


21/06/2019 Facebook Twitter LinkedIn Google+ Novidades



A CAIXA assinou, nesta quarta-feira (19), termo de compromisso com o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) para realizar a inclusão social de 550 crianças e adolescentes com deficiência, de 10 a 17 anos, alunos das redes públicas municipal e estadual, por meio de atividades esportivas, culturais e educativas.

O evento de assinatura do termo teve participação do presidente da República, Jair Bolsonaro, do governador de São Paulo, João Dória, do presidente da CAIXA, Pedro Guimarães, e do presidente do CPB, Mizael Conrado.

O CPB vai receber R$ 10 milhões até 2023 para realizar o projeto, que consiste ainda em batizar o Centro de Treinamento com o nome do banco. O espaço, um dos mais modernos do País para o treinamento de atletas de elite, se chamará CT Paraolímpico Caixa. Apesar do fortalecimento da parceria entre CPB e Caixa, a atual gestão do banco não deve ampliar o patrocínio esportivo para entidades.

Somente CPB

Com o acordo, o CPB se torna uma espécie de sobrevivente entre os antigos parceiros da Caixa. No início deste ano, o governo federal retirou a participação do banco estatal de diversos patrocínios esportivos, em especial os times de futebol. Diversos clubes perderam o patrocínio da empresa, que só manteve até agora os contratos que já estavam em vigor, como Liga Nacional de Basquete (LNB) e Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt).

Ao todo, eram cerca de R$ 200 milhões no futebol, além de corrida de rua e outras entidades e eventos esportivos. Até o momento, o CPB é o único que teve o patrocínio renovado.

Comitê Paralímpico

O CPB é a entidade que rege o desporto para pessoas com deficiência no país. O Comitê visa à promoção e ao desenvolvimento do esporte de alto rendimento.

A CAIXA é patrocinadora do CPB. A Lei Agnelo/Piva estabelece prevê que 1% da arrecadação bruta de todas as loterias federais sejam repassadas ao Comitê. De acordo com a assessoria de comunicação, de 2017 a 2020, serão investidos R$ 95 milhões em 11 modalidades paralímpicas e 90 atletas.

Entre as modalidades beneficiadas estão atletismo, natação, halterofilismo, esgrima em cadeira de rodas, tiro esportivo, futebol de 5, bocha, goalball, rúgbi em cadeira de rodas, tênia de mesa e vôlei sentado.

Recursos do FDL

Os recursos que serão aplicados no Comitê Paralímpico Brasileiro – CPB serão retirados do Fundo para Desenvolvimento das Loterias – FDL, que recebe 1% de toda a arrecadação das loterias da União.
Fonte: BNL Data

WhatsApp chat