MGM pagará mais de US$ 700 mi a vítimas de massacre de Vegas


08/10/2019 Facebook Twitter LinkedIn Google+ Novidades



A MGM Resorts International aceitou pagar entre US$ 735 milhões e US$ 800 milhões em acordos para solucionar as ações judiciais das vítimas do tiroteio de outubro de 2017 em Las Vegas, que matou 58 pessoas e deixou centenas feridas.

A empresa, proprietária do hotel Madalay Bay, local onde o assassino Stephen Paddock abriu fogo contra mais de 20 mil pessoas que participavam de um festival musical, disse que o acordo histórico não é uma admissão de responsabilidade pelo massacre. “Nosso objetivo sempre foi resolver esses assuntos para que nossa comunidade, as vítimas e suas famílias possam avançar no seu processo de cura”, afirmou Jim Murren, presidente e CEO da MGM Resorts, à imprensa local.

Segundo o executivo, as partes envolvidas deixarão de lado todos os processos pendentes relacionados à companhia. “Sempre acreditamos que litígios prolongados sobre esses assuntos não interessam a ninguém. É nossa sincera esperança que esse acordo signifique que esse cenário será evitado”. O principal advogado defensor das vítimas, Robert Eglet, disse que o acordo é um marco no processo de recuperação. “Embora nada possa recuperar as vidas perdidas ou desfazer os horrores que tantos sofreram naquele dia, este acordo dará uma compensação justa”, disse em comunicado.

Considerado o pior atentado a tiros da história moderna dos Estados Unidos, o massacre teve sua investigação encerrada no ano passado. Em 2017, Paddock foi à janela do quarto do hotel e cassino Mandalay Bay, onde estava hospedado, e disparou contra uma multidão que estavam em um evento country realizado a poucos metros de distância. Após cometer os crimes, ele se suicidou. As autoridades encontraram 23 armas de fogo no interior do quarto.
Fonte: Isto É

WhatsApp chat