Governo apresentará emenda ao Projeto Clube-empresa


06/11/2019 Facebook Twitter LinkedIn Google+ Novidades



Uma das revelações do ‘Seminário Regulamentação das Apostas Esportivas no Brasil’, promovido pela SECAP-ME foi sobre a estratégia que o Ministério da Economia vai adotar para realizar os ajustes necessários à Lei 13.756/18 no Congresso Nacional. Será apresentada uma Emenda Aglutinativa ao projeto do clube-empresa, que tem a relatoria do deputado Pedro Paulo (DEM-RJ).

Além disso, o relator deverá incorporar no texto do clube-empresa a possibilidade de que os clubes comercializem os betting rights – direitos de transmissão de melhores momentos dos jogos em sites de apostas.

Além do deputado Pedro Paulo também participaram do seminário o senador Dário Berger (MDB-SC); o secretário Alexandre Manoel; o Secretário Especial do Esporte, General Décio dos Santos Brasil; o presidente do Comitê Olímpico Brasileiro, Wanderley Teixeira; o ex-deputado pelo PT e representante da Aliança dos Clubes Brasileiros, Vicente Candido; o Membro do Conselho Nacional do Esporte – CNE e consultor do Grupo Globo, Lars Grael e o advogado Pedro Trengrouse.

Pacote de reformas compromete repercussão do seminário da SECAP

A realização do ‘Seminário Regulamentação das Apostas Esportivas no Brasil’ no mesmo dia da entrega do governo para o Congresso Nacional das medidas do ‘Plano Mais Brasil’ acabou comprometendo a repercussão na mídia do evento promovido pela SECAP-ME. Até mesmo no site e nas mídias sociais do próprio ministério da Economia, o seminário não teve espaço devido a forte repercussão da entrevista do ministro Paulo Guedes sobre as medidas propostas pelo governo.

O debate do seminário girou em torno das alterações da lei 13.756, que entrou em vigor em dezembro do ano passado, legalizando as apostas em território nacional. Em entrevista ao O Globo desta terça-feira (5), o deputado federal Evandro Roman comentou sobre o tema.

“Perdemos bilhões de arrecadação por não termos isso regulamentado. As apostas continuam sendo feitas, mas as pessoas apostam em sites de Malta, do Uruguai. Por que não regulamentar para que o recurso fique aqui? — ponderou o deputado federal Evandro Roman em entrevista ao O Globo.

O ex-árbitro preside a subcomissão que tratou do tema na Comissão de Esporte da Câmara. Com essa incumbência, viajou ao exterior para captar experiências.

“De onde buscar recursos? O mundo inteiro é pautado nas apostas, menos no Brasil. Que vê como algo satânico. Estive na Sérvia, é impressionante a quantidade de casos de apostas físicas e online. Por isso até a dificuldade de investimento. Fazer futebol é caro. Não adianta exigirmos dos clubes, de investidores e não darmos a possibilidade de investirem”, comentou Roman na mesma entrevista.
Fonte: BNL Data

WhatsApp chat