Trabalhadores relatam erros no aplicativo da Caixa


24/04/2020 Facebook Twitter LinkedIn Google+ Novidades



Desempregados e trabalhadores informais estão enfrentando erros no sistema da Caixa Econômica Federal ao solicitar o auxílio emergencial de R$ 600. Há também relatos de trabalhadores que conseguiram solicitar mas esbarraram em bugs do aplicativo do banco no momento da liberação do dinheiro.

É o caso da família do autônomo Reison Campos Diniz, de 22 anos, que mora no bairro Tamancão, em São Luís, no Maranhão. Ele e o irmão Wanderson, de 20 anos, tentaram se cadastrar pelo aplicativo da Caixa para receber o auxílio, mas tiveram como resposta “dados inconclusivos”, conforme a tela seguinte:

Eles moram com a mãe Ana Lúcia, de 48 anos, que está com sintomas da Covid-19, o que tornou a situação da família mais complicada: agora, todos estão em isolamento social. Ela conta que o auxílio seria um “alívio nas contas do mês”. “Seria um dinheiro bem-vindo neste momento de muita dificuldade”, diz.

Terceira filha de Ana Lúcia, a produtora de eventos Priscilla Campos mora em outro bairro, mas também está sofrendo com a falta de renda e, por isso, solicitou o auxílio. Ao contrário dos irmãos, conseguiu aprovação, mas sofre com outro problema técnico: não consegue cadastrar sua conta para receber os R$ 600.

Ela conta que, ao tentar cadastrar sua conta corrente no aplicativo Caixa Tem, aparece uma mensagem que diz que ela não tem direito ao auxílio.

“Eles disseram que estava liberado no dia 22, só que tem que entrar no aplicativo da Caixa Tem , e lá está como se eu não tivesse direito ao auxílio”, relata.

Priscilla chegou a buscar informações por meio do número 111, o telefone da Caixa criado para tirar dúvidas sobre o auxílio emergencial. Foi atendida, mas seu problema não foi resolvido.

Problemas em outros estados

Além do Maranhão, há relatos semelhantes em outros estados. Trabalhadores de Santa Catarina denunciaram problemas semelhantes ao fazer o cadastro no site da Caixa. O aplicativo estaria desconsiderando o número zero do CPF das pessoas cadastradas como integrante da família do titular do benefício, resultando em uma avaliação de “dados inconclusivos”.

Em Alagoas, muitos trabalhadores também se depararam com a resposta de “dados inconclusivos” e relataram que não conseguem corrigir os dados para fazer uma nova solicitação.

O G1 entrou em contato com a Caixa, responsável pelo cadastramento dos beneficiários, nos estados do Maranhão, Santa Catarina e Alagoas e não obteve posicionamento sobre os erros até a publicação dessa reportagem.
Fonte: G1

WhatsApp chat