Clubes da elite assinam documento e criam a Libra, a liga do futebol brasileiro


04/05/2022 Facebook Twitter LinkedIn Google+ Novidades



Na manhã desta terça-feira (3), seis clubes da elite do futebol brasileiro assinaram um documento para a criação da Libra S.A., empresa que será responsável pela organização da Liga de clubes brasileiros.

Segundo o GE.com, Bragantino, Corinthians, Flamengo, Palmeiras, Santos e São Paulo assinaram com a Codajas Sports Kapital, grupo liderado pelo advogado Flavio Zveiter e que tem o banco BTG como captador de investidores para a liga. O Cruzeiro também assinou.

A reunião desta terça foi convocada pelos cinco clubes paulistas que disputam a Série A (Corinthians, Palmeiras, Red Bull Bragantino, Santos e São Paulo) e o Flamengo.

Agora, um novo encontro será marcado para a semana que vem e que contará com a participação dos 40 clubes que estão nas Séries A e B do Brasileiro.

Importante destacar que ainda existem divergências para que todos assinem. O primeiro grupo é formado pelos clubes já citados e o segundo é o “Forte Futebol“, criado por América-MG, Athletico Paranaense, Atlético Goianiense, Avaí, Ceará, Coritiba, Cuiabá, Fortaleza, Goiás e Juventude. Desde o princípio, o Forte Futebol afirmou que não aceitaria participar de qualquer liga que não priorizasse a divisão igualitária de receita.

“Com as novas possibilidades de investimentos, tanto nos clubes brasileiros como também nas competições, têm surgido interessados no mercado dispostos a gerir e administrar uma Liga de Clubes no país. Um assunto que nós já vínhamos há alguns anos trazendo ao debate e buscando a adesão de todos. Como nunca tivemos uma instituição de classe forte e unificada, não foi possível. Agora temos um novo cenário, e novos e velhos “atores” querendo entrar em cena. Grupos, empresas, brokers e outros. Mas para se construir algo sólido, é preciso conhecer melhor o terreno. Quanto mais informação, melhor. Os clubes brasileiros, que são os principais interessados em participar de uma liga forte, devem se unir”, destacou a nota da fundação do Forte Futebol em fevereiro.

A discordância está ligada à divisão dos recursos nos contratos de TV. A proposta da CSK contempla uma divisão de 40% dos valores fixos, 30% variável por performance e 30% por audiência. Já o Forte Futebol defende que a divisão seja de 50-25-25.

Segundo o GE, estiveram na reunião de hoje representantes de 18 clubes da Série A (exceções foram Cuiabá e Juventude). Das equipes atualmente na Série B, dirigentes de Cruzeiro, Guarani, Ponte Preta, Sport e Vasco marcaram presença.

O nome Libra Administração e Participações S.A. já está registrado na Junta Comercial de São Paulo. A previsão para início da Libra é a partir do próximo dia 15, segundo o registro da Junta.
Fonte: MKT Esportivo

f